14.02.2022
Diversidade

Educar para transformar

A sala de aula pode mudar o mundo se o exercício da crítica e do questionamento estiverem sempre presentes. Para a professora de Taquara (RS), Priscila Renata Martins, esse é o cerne do trabalho do professor – refletir, repensar e inovar. “A educação serve para transformar.”

Nas práticas em sala de aula, um dos temas que Priscila procura trazer à tona é o das relações de gênero, sobre o qual se dedica à pesquisa e ao estudo. Para ela, é fundamental o professor apropriar-se dessa temática em função da imensa violência de gênero que, infelizmente, vivenciamos no Brasil. A situação da violência contra a mulher, homossexuais e pessoas trans, por exemplo, segundo a professora, precisa ser discutida e apresentada em sala de aula, sempre conectada às relações de poder que nelas estão envolvidas.

Desde muito cedo, a questão de gênero está presente, perceptível em certos pensamentos e comportamentos que podem reiterar a violência e que, muitas vezes, estão naturalizados. Falas como “meninas brincam de bonecas, e meninos de carrinho, ou que meninos são mais agitados e meninas mais calmas” trazem um modo de ver o mundo, que pode reforçar a desigualdade de gênero e a violência.

Se você também quer se apropriar do tema e ajudar a construir um mundo mais equânime, vai gostar de ouvir as ideias da professora Priscila. Confira aqui:

 

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS: